PCF-3

Questões comentadas, artigos e notícias

Archive for the ‘Prova 2002’ Category

Prova 2002: Q8 Português

Posted by papacharliefox3 em 20/11/2009

Comentários

1 Essa é fácil. “Um” possui gênero masculino, logo  “à um” não existe…

2 “Quem disponibiliza, disponibiliza algo a alguém” – OK. Mas, veja a pegadinha do malandro: A disponibilização de recursos…são esperados. O certo seria “é esperada!”.

3 “…as várias moedas não são a única forma de relação comercial”, sinistro, não? Pensa assim: os peritos são a salvação da humanidade (caraca!). É possível? (“gramaticalmente” falando, cabeção!) É sim! E por que as moedas não podem ser a única forma de relação comercial? Acorda aí…

4 A construção “em que um país necessita” está incorreta. “Quem necessita, necesita de algo”. Ninguém necessita “em algo”.

5 “Em relação à América do Sul” é o correto. Em relação ao Brasil. Crase na veia!

Gabarito

1-E  2-E  3-C  4-E  5-E

Posted in Português, Prova 2002 | 1 Comment »

Prova 2002: Q.33 Linguagens de Programação

Posted by papacharliefox3 em 06/11/2009

Salve, concurseiros!

33

Comentários

1 Compilador nada mais é que um programa que lê um código escrito em uma linguagem fonte e o traduz em um código (equivalente) em outra linguagem. Este não é necessariamente executável.

2 O código de montagem gerado pelo compilador é traduzido em código de máquina, entretanto este processo nõ ocorre somente em compiladores de linguagens de baixo nível.

3 Item anulado pela banca. Com esse monte de informações contidas no texto fica fácil arrumar justificativas que anulam o item. O carregador ou ligador é responsável pela carga e edições de ligações, colocando o código de máquina relocável em memória.

4 Em Java, bytecode não é código-fonte, diferentemente do que acontece com Perl.

5 Mais um item anulado. Muito texto, mais chance de anulações, enfim, sem comentários aqui…

Gabarito

1-C  2-E  3-X  4-E  5-X

X = anulada

Posted in Programação, Prova 2002 | Etiquetado: , , , , , , | Leave a Comment »

Prova 2002: Português Q7

Posted by papacharliefox3 em 05/11/2009

Salve, concurseiros!

Mais uma de Português da prova de 2002. 

p70p7

Comentários

1 Correto, conforme visto no texto: (…) enfrentar o desafio deincrementar as exportações brasileiras (…) “Nossa prioridade é o MERCOSUL”.

2 O 2º parágrafo se refere exatamente ao que consta no item.

3 O terceiro parágrafo não é narrativo, mas dissertativo, como todo o texto (último item).

4 Não é descrito o papel geopolítico do Brasil. Este papel de líder geopolítico é citado pelo autor apenas como necessidade.

5 Quando o autor altera de 3ª pessoa para 1ª pessoa do singular, de certa forma, ele inclui o leitor em suas afirmativas. Isso nos faz (leitores) avaliar nosso ponto de vista, concordando ou não com tais afirmações.

Gabarito Oficial

1-C  2-C  3-E  4-E  5-C

Posted in Português, Prova 2002 | Leave a Comment »

Prova de 2002 – Q.32 Programação

Posted by papacharliefox3 em 04/11/2009

Salve!

Na prova de 2002, cobrou-se apenas duas questões de conhecimento em Linguagens de Programação, cada uma com 5 itens. Segue abaixo a primeira:

32Comentários

1 Mais uma vez o ‘geralmente’ causa polêmica. Essa palavra não cabe na afirmação. Existem 2 tipos de casting nas duas linguagens (em C++ existem até operadores de casting):  implícitos e explícitos. O casting explícito não é uma exceção assim como o implícito não acontece ‘geralmente’.`

2 Toda classe em Java (declarada por meio da palavra class) é derivada da classe object. Sem classes não seria possível implementar as características comuns de linguagens orientadas a objeto.

3 A existência de ponteiros implica em aritimética de ponteiros (manipulação de endereços de memória) , o que não é equivalente as referências em Java. Estas se referem a instâncias de classe, enquanto ponteiros (em C++) se referem a endereços de memória.

4 Ponteiros do tipo void podem apontar para valores de qualquer tipo, assim ele é utilizado no casting de ponteiros ‘genéricos’. Run Time Type Information (RTTI) permitem a descoberta do tipo de um objeto quando há necessidade de casting, por exemplo, por meio do operador dynamic_cast, o que gera mais segurança ao código.

5 Assim como as variáveis, as funções também são instruções persistidas na memória e que podem ser referenciadas em C e C++.

Gabarito

1-E  2-C  3-E  4-C  5-C

Posted in Programação, Prova 2002 | Etiquetado: , | Leave a Comment »

Prova de 2002 – Q.21 Fundamentos

Posted by papacharliefox3 em 28/10/2009

21f

Comentários

1 As calculadoras programáveis, mesmo algumas bem avançadas, utilizam-se da interatividade com o usuário para ‘popular’ registradores ou mecanismos de armazenamento utilizados para cálculos posteriores, diferentemente dos computadores.

2 Sem tirar nem pôr. O primeiro ‘engenho’ foi concebido 1833 por Charles Babbage, este morreu antes de ver o projeto finalizado, feito conseguido por seu filho Henry, em conjunto com outros pesquisadores. Somente cerca de 100 anos depois (1936), Alan Turing definiria de maneira abstrata o que seria o computador de hoje.

3 Unix e Windows não necessitam de mais de 10GB para serem instalados.

4 Computadores eram compostos por válvulas, posteriormente por transistores. Hoje em dia o circuito integrado fez com que o tamanho dos computadores se tornasse cada vez menor.

5 Microprogramação diz respeito à programação de instruções na unidade de controle por meio de software, isto em nada tem a ver com microcomputadores, mas a uma característica geral de sua arquitetura, sobretudo em máquinas CISC.

Gabarito

1-E  2-C  3-E  4-C  5-E

Posted in Fundamentos, Prova 2002 | Leave a Comment »

Prova 2002: Questão 30 Banco de Dados

Posted by papacharliefox3 em 07/10/2009

Salve! Pra fechar as questões desta matéria, em relação à prova de 2002, seguem mais comentários.

bd30

Comentários

1 O controle mandatório é basicamente definido pelo administrador, neste caso, pelo DBA, por meio de atribuições de rótulos (labels) aos objetos ou dados; o discricionário, é definido pelo próprio usuário responsável pelos dados. Tipicamente, esta tarefa é do DBA, mas, em um SGBD moderno, este papel pode ser atribuído a um determinado usuário, reduzindo-se o escopo de atuação (schema, tables, etc).

2 Perfeito. O DBA classifica (assinala, rotula) o dado, e de acordo com o perfil ou papel do usuário, este obtém acesso ao dado (objeto).

3 Acredito que neste item tenha faltado especificar a operação ou nível de liberação do usuário.

4 O item cita, basicamente, que é fundamental a prática de auditoria dos logs de operações em busca de violações de segurança. Essa exigência está em consonância com o próprio enunciado.

5 Típica questão que eu não marcaria, pelo menos de acordo com o que estudei até agora. Nunca imaginei que isso (orange/rainbow books) poderia constar em uma questão do CESPE…enfim, de acordo com minha pesquisa, encontrei a seguinte informação: sistemas classificados na categoria ou classe C referem-se a sistemas regidos pelo controle de acesso discricionário, e não mandatório como cita a questão.

Gabarito

1-C  2-C  3-E  4-C  5-E

Posted in Banco de Dados, Prova 2002 | Leave a Comment »

Prova 2002: Questão 29 Banco de Dados

Posted by papacharliefox3 em 07/10/2009

bd291
bd292

Comentários

1 É exatamente o que ocorre nas transações quando do rollback.

2 Alguns SGBDs podem ter tais características, mas, em suma, todos tratam da gerência da disponibilidade e armazenamento (repositório) de dados.

3 Acredito que, mesmo os eventos sendo não-permitidos pela política, isso não implica em geração de logs.

4 Operações permitidas podem gerar registros de logs.

5 O armazenamento pode ser feito por meio de ‘arquivões’ (dbf, etc) assim como por meio de dispositivos de armazenamento gerenciados pelo próprio SGBD (raw device, por exemplo). O restante tem mais a ver com forense de armazenamento de dados do que com BD, dado que o conceito e dificuldade se aplica a qualquer sistema, bem como aos SGBDs.

Gabarito

1-C  2-E  3-E  4-E  5-C

Posted in Banco de Dados, Prova 2002 | 3 Comments »

Prova 2002 – Português Q. 4-5

Posted by papacharliefox3 em 06/10/2009

Salve! Duas questões de Língua Portuguesa. Ainda faltam pouco mais de 20 destas… :)

p45

p45

Comentários

4.1 O texto trata do gauchismo, e a metáfora com os caranguejos diz respeito ao movimento separatista presente no sul do país. O termo MERCOSUL é bastante amplo, de forma que não se relaciona aos caranguejos gaúchos.

4.2 Vai do particular, relacionado aos problemas separatistas dos gaúchos; ao geral, relacionado com a discussão ampla do MERCOSUL, onde, de forma abstrata, cita-se, inclusive, o narcisismo de alguns.

4.3 Perfeito, conforme o terceiro parágrafo do texto.

4.4 As relações sintáticas são alteradas. Acredito que a diferença esteja na relação de transitividade dos verbos avistar e passar.

4.5 Não há elevado nível de afinidade política, muito menos cultural entre os integrantes daquele mercado.

5.1 Antes, depois, durante: tempo. Diferente do item 5.5, que trata o “Antes” como condição/finalidade.

5.2 O verbo ‘ter’ com sentido de ‘necessidade’ (diferente de ‘posse’) é transitivo indireto, logo, pode aceitar a partícula ‘de’.

5.3 Quem mostra, mostra algo a alguém. Verbo transitivo direto e indireto. A frase tem função de complemento verbal (objeto direto).

5.4 O verbo ‘necessitar’ com sentido de ‘carecer’ aceita – opcionalmente – a preposição, comportando-se como verbo transitivo indireto.

5.5 Explicado no comentário do item 5.1.

Gabarito

4.1-E  4.2-C  4.3-C  4.4-E  4.5-E

5.1-C  5.2-C  5.3-C  5.4-C  5.5-E

Posted in Português, Prova 2002 | Leave a Comment »

Prova de 2002: Sistemas Operacionais Q.43

Posted by papacharliefox3 em 22/09/2009

Salve, cabocos!

De acordo com os garranchos que fiz na minha prova, acredito ter feito 60 pontos na prova pra Escriba. Será que rola o TAF? Dia 29 nós saberemos…

Para não perder o costume e cumprir a promessa, segue abaixo mais uma questão de provas anteriores para PCF3.

43Comentários

1 Questão de forensics hein? :) O comando dd faz a famosa cópia bit-a-bit, desta forma, não altera as datas/horários contidos nos metadados do sistema de arquivos, o que preserva a estrutura lógica.

2 Exatamente o contrário da anterior. O comando tar acessa a estrutura lógica do sistema de arquivos e, consequentemente, altera os mac times.

3 Questão de computação forense e Linux (comando md5sum não existe, por padrão, na instalação do Windows). O comando dd sem o parâmetro ‘of‘ (output file) irá jogar a sua saída no STDOUT. Dessa forma, ao se utilizar o prâmetro ‘-b’ com o comando md5sum, cujo propósito é a geração de hash md5 de um arquivo, a entrada de dados será a saída do primeiro comando (pipe), tratada em binário. O resultado será o valor hash da partição.

4 Sem dúvida.

5 Sem dúvida (essa vale explicar!). Sem muitas palavras, é isso: ssh user@host “cat /etc/passwd” > /home/pcf-3/copia_passwd.

Gabarito Oficial

1-E  2-E  3-C  4-C  5-C

Posted in Forense, Prova 2002, Sist. Operacionais | 2 Comments »

Prova 2002: Português Q3

Posted by papacharliefox3 em 11/08/2009

p3

A partir das idéias dos textos I e II, julgue os itens subseqüentes.

1 Segundo o texto I, a empresa TeleA investe anualmente mais de
150 milhões de reais no apoio a projetos sociopolíticos para tirar
as crianças das ruas.

2 As empresas anunciadoras, TeleA e TeleB, apresentam, em
comum, o fato de estarem fazendo propaganda de serviços de
telecomunicações prestados à comunidade.

3 Enquanto a propaganda do texto I dirige-se, principalmente, a
um cidadão, tratando-o por você, a do texto II visa à
comunicação com empresas.

4 Infere-se do texto II que, no 0800 Light, a qualidade da voz e do
tráfego em linha digital é a principal vantagem do beneficiário
e que, no Vox Direta, a economia da própria empresa é
favorecida.

5 A “comunidade virtual” descrita no último período do texto II
refere-se ao projeto Internet 2, também denominado segunda
geração da Internet, em que, por meio de linhas “100% digitais”,
disponibiliza uma banda larga capaz de permitir o tráfego de
dados a uma taxa superior a 1 Gbps entre dois pontos quaisquer
da rede e, graças às técnicas de criptografia, torna as transações
na Internet completamente seguras.

Comentários

1 Sociopolítico é igual a cultural? Acredito que não. De qualquer forma, o investimento (150 milhões) não é especificamente em projetos específicos, muito menos de apoio a tais projetos.

2 No texto II, deve-se entender que o público corporativo (empresas, corporações) também fazem parte da comunidade, logo, a questão está certa.

3 Só complementando o que citei acima. Correto.

4 O primeiro destaca-se pelo custo reduzido; o segundo, por um pacote econômico, específico para empresas. Além disso, não há como a qualidade de voz e tráfego ser uma vantagem da TeleA ou TeleB, pois ambas utilizam a mesma tecnologia (linhas 100% digitais).

5 Essas é daquelas “quanto mais se lê, mais vontade de marcar ‘E'”…

Gabarito Oficial

1-E  2-C  3-C  4-E  5-E

Posted in Português, Prova 2002 | Leave a Comment »